Vladimir Putin felicita Filipe Nyusi pela vitória nas eleições

Data: 24/10/2019
 
Nyusi-Putin

Sochi (Rússia), 24 de Outubro de 2019 – O Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, felicitou Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República, pela vitória nas eleições de 15 de Outubro, para as eleições Presidenciais.

Falando na Sessão Plenária da Cimeira Rússia-África, Vladimir Putin congratulou o Chefe do Estado pela sua vitória nas eleições, assim como pelos seus esforços de pacificação no país, dando destaque ao combate contra os malfeitores que aterrorizam partes de alguns distritos da província de Cabo Delgado.

Por sua vez, o Presidente Nyusi na sua intervenção, recordou as relações entre os dois países que remontam dos primórdios da luta pela independência para a libertação do país do jugo colonial.

“Hoje, recordamos com muito orgulho da mão generosa na luta que travamos para conquistar as nossas independências. Saudamos o lema oportuno e sabiamente escolhido para esta cimeira “Paz, Segurança e Desenvolvimento”. Com este lema a Federação Russa reforça a sua posição de defesa pelo multilateralismo e equilíbrio de poder e nos seus esforços incansáveis para tornar o Conselho de Segurança das Nações Unidas, um órgão capaz de responder de forma imparcial as transformações operadas no mundo”, disse o estadista.

Já na Conferência de Imprensa que marcou o fim da sua visita à Rússia, o Presidente da República falou do seu encontro com Cyril Ramaphosa com que falaram sobre as eleições e a segurança transfronteiriça. O Presidente Sul-africano deu garantias de que as autoridades do seu país estão a envidar esforços para prover segurança aos moçambicanos residentes naquele país, para que não voltem a ser alvos de ataques xenófobos.

Outro encontro mantido pelo Presidente Nyusi foi com o Presidente do Ruanda, Paul Kagamé, assim como com os seus homólogos do Quénia, Malawi, Namíbia e do Zimbabwe. Em relação a este ultimo, a conversa incidiu sobre a crescente necessidade do país vizinho incrementar o uso dos portos moçambicanos para o seu comércio externo, com maior incidência na importação de combustível e futuramente do gás natural.