“Projectos de grande envergadura representam a evolução do investimento privado” - PR

Data: 01/04/2021
 
Inauguração da nova empresa da Cerveja de Moçambique - CDM-79

Maputo 1 de Abril de 2021 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, afirmou que os projectos de grande envergadura que a Cervejas de Moçambique (CDM), desenvolve em Moçambique, representam a evolução favorável das condições do investimento privado com uma perspectiva de médio e longo prazo, apesar de vários desafios que o país e mundo enfrentam, caracterizados pelos impactos negativos da pandemia da Covid-19.

O Chefe do Estado falava hoje, durante a cerimónia da inauguração da Cervejeira de Marracuene, um empreendimento fabril da empresa Cervejas de Moçambique, construída de raiz e avaliada em 180 milhões de dólares norte-americanos e constituída por modernas tecnologias, entre outras, de produção, embalagem e enchimento.

“Com os investimentos de expansão com capacidade produtiva de grande dimensão, a Cervejas de Moçambique dá um contributo valioso para a industrialização do país. Quero dar uma palavra de apresso a CDM por continuarem a depositar confiança no nosso país através de investimentos”, disse o Presidente Nyusi.

O PR apontou a ligação da indústria inaugurada com o sector agrícola, enfatizando a necessidade de transferência de tecnologias para os pequenos agricultores, para que a qualidade da matéria-prima, nomeadamente o milho, açúcar, mandioca e outros produtos produzidos a nível nacional, seja de qualidade, o que vai dinamizar toda a cadeia de valor dos produtos agrícolas solicitados pela empresa.

“Com a procura que a empresa vai gerar, serão estabelecidas cadeias de valor sustentáveis a prazo, acrescendo valor aos produtos agrícolas e com efeitos imediatos na geração de renda das famílias que constitui a base para o empoderamento da produção e elevação do nível do bem-estar social dos moçambicanos”, vincou o estadista.

Para o Presidente Nyusi, a ligação da indústria cervejeira com a produção agrícola, vai permitir a consolidação de uma base diversificada da economia traduzindo o incremento do peso no sector industrial alimentar e de bebidas orientada para a substituição de importações, o que vai ter um impacto imediato e positivo na balança comercial.

“Quando diversificamos a economia desta forma, tornamos o país robusto na economia. Está fábrica serve de ancora na materialização do potencial industriar e de outros sectores de actividades, reforçando a visão integrada da indústria, comércio, transporte e o sector imobiliário”, frisou.

Na ocasião, o Chefe do Estado desenfiou a CDM a abraçar sistemas produtivas amigas do ambiente que permitam o menor consumo de água e energia, controlando os resíduos e emissões sobre o ambiente, entre outros.

Por sua vez, o Presidente do Conselho de Administração da CDM, Tomás Salomão, informou a empresa tem uma capacidade inicial de produção de 2.4 milhões de hectolitros, cifra que poderá ser expandida ao longo do tempo para ate 6.7 milhões de hectolitros, de acordo com a evolução das necessidades do mercado. Na mesma ocasião, o PCA da CDM anunciou uma doação de um milhão de dólares norte-americanos ao Estado moçambicano para o reforço da capacidade de compra de vacinas para fazer face a pandemia da Covid-19.