Prevenção da covid-19: Chefe do Estado condena atitudes irresponsáveis

Data: 23/12/2020
 
_Foto Patenteamento ofic. Migracao 2

Maputo, 23 de Dezembro de 2020 - O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, condena a atitude irresponsável de muitos concidadãos que ignoram as medidas de prevenção da Covid-19, pondo em causa a ideia de proteger a vida dos moçambicanos e reanimar a economia nacional. A inobservância das medidas, no entender do Chefe do Estado, comprometem a promoção de algumas oportunidades para os moçambicanos que vivem de pequena renda.

Falando ontem no seu Gabinete de Trabalho, onde dirigiu a cerimónia de patenteamento de oficiais do Serviço Nacional de Migração recentemente promovidos à patente de Primeiro-Adjunto do Comissário da Migração, o Presidente Nyusi repudiou o facto de o lazer estar a ser colocado acima da preservação da saúde.

Lembrou que o alívio das medidas anunciado há dias não pode significar um relaxamento na prevenção contra a doença, reafirmando que em caso de incumprimento, o Governo recuaria na reabertura desses sectores da vida social. Voltou a explicar que o relaxamento visava permitir que sectores da sociedade moçambicana pudessem se ajustar de forma progressiva e razoável num novo normal.

“Tomámos essa decisão acreditando e confiando nos moçambicanos. Não estamos satisfeitos com as informações que temos estado a receber, a partir das províncias e o que temos observado. Volto a dizer: no caso de prevalecer o desrespeito, adoptaremos medidas duras”, advertiu o estadista moçambicano.

Na sua comunicação, o Chefe do Estado apontou que a Polícia da República de Moçambique poderá ser chamada, a qualquer momento, para fazer cumprir a lei em defesa dos moçambicanos e do país.

“Um maior acesso às praias, bares, barracas e centros sociais não pode ser uma porta aberta para que a pandemia se venha a agravar no país. Os proprietários destes estabelecimentos devem ser os primeiros guardiões e activistas para a promoção das medidas de prevenção contra a pandemia da Covid-19.

Na ocasião disse também que as autoridades moçambicanas devem aumentar o rigor no país, numa altura em que a África do Sul, país vizinho, descobriu casos de uma nova variante do novo coronavírus.

Dirigindo-se particularmente aos quadros do Serviço Nacional de Migração, o Presidente da República elogiou o facto de o sector ter sido colocado à prova neste tempo de pandemia, em que conseguiu gerir o fluxo migratório, procurando responder à demanda dos cidadãos e estrangeiros que cruzam as fronteiras nacionais.

Na cerimónia de ontem, o Presidente da República patenteou Daniel Júlio Nhamussua e Renato Manuel Furuma, a patente de Primeiro-Adjunto do Comissário da Migração, na Classe dos Oficiais Comissários.