PR e Presidente da Renamo avaliam processo do DDR

Data: 28/06/2021
 
Recepção

MAPUTO, 23 DE JUNHO DE 2021 – Realizou-se, ontem, dia 22 de Junho de 2021, um encontro entre o Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi e o Presidente da Renamo, Ossufo Momade, em que passaram em revista os progressos na implementação do Acordo de Maputo para a Paz e Reconciliação Nacional e discutiram vários pontos importantes que irão consolidar ainda mais o espírito do Acordo no futuro do nosso país.

Concluíram que 2.307 ex-combatentes foram desarmados e desmobilizados, começando agora a sua reintegração na sociedade. Estes homens e mulheres escolheram viver uma vida de paz e contribuir para a prosperidade do nosso país. Este progresso continuado, apesar dos desafios actualmente impostos pela pandemia da COVID-19, é testemunho do desejo colectivo das partes de alcançar a paz.

Olhando para o futuro, as partes estão empenhadas em assegurar que os restantes combatentes sejam totalmente desarmados e desmobilizados. Ao mesmo tempo, assegurar que os esforços realizados até à data sejam sustentáveis, o que exigirá um compromisso renovado para apoiar a reintegração dos já desmobilizados. As partes reconhecem que estes indivíduos trazem consigo contributos únicos para a nossa sociedade e trabalharão em conjunto para assegurar que eles possam realizar o seu potencial.

As partes acordaram iniciar o processo de integração dos ex. combatentes da Renamo na Polícia da República de Moçambique, conforme acordado no Memorando de Entendimento e como elemento de consolidação da Reconciliação Nacional.

Tomaram a oportunidade do encontro para convidar mais uma vez aqueles que ainda estão no mato a juntarem-se ao processo de DDR e reafirmaram a vontade de continuar a trabalhar em conjunto até que a questão seja resolvida.

Neste momento de reflexão e revisão do processo reiteraram a importância e necessidade do diálogo e da comunicação permanente para superar os desafios que possam surgir ao longo do caminho. As partes continuam firmemente empenhadas na construção da paz em Moçambique, pois será pela paz que o nosso país prosperará.