PR condena actos violentos nos protestos na África do Sul

Data: 16/07/2021
 
Cimeira Extraordinária da Dupla Troika da SADC-501

Maputo, 16 de Julho de 2021 – O Presidente da República e Presidente em Exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), Filipe Jacinto Nyusi, expressou a sua preocupação e pesar pela perda de vidas e destruição indiscriminada de propriedade durante os recentes protestos na República da África do Sul.

De acordo com a declaração da Presidência da SADC, a organização apresenta as suas condolências às famílias das vítimas da violência; e muitas outras cujos meios de subsistência foram destruídos como resultado da pilhagem de infra-estruturas públicas.

“Os protestos violentos constituem não apenas uma ameaça, à vida humana, mas também geram instabilidade, asfixiam o crescimento económico, amplificam os riscos e impedem o tão necessário retorno do investimento. Portanto, a SADC condena veementemente estes ataques a propriedades, negócios e pessoas”, diz a declaração do Presidente da SADC.

A mesma declaração aponta que a SADC observa ainda com preocupação que os protestos têm estado a causar perturbações nos esforços em curso para enfrentar os impactos devastadores da pandemia da COVID 19, que já sobrecarrega a maioria da população com dificuldades sem precedentes.

“Dada a posição estratégica da África do Sul na economia regional, se a actual a agitação não for controlada, a mesma terá um impacto negativo na cadeia de abastecimento de bens essenciais da região, abrandará as principais rotas comerciais, reduzirá as oportunidades de emprego e ameaçará as infra-estruturas vitais, não só da África do Sul, mas também da região da SADC, no seu todo”, diz a declaração em referência.

Continuando, o Presidente da SADC na sua declaração, anota que se a violência persistir, a recuperação projectada para a região e o crescimento previsto em 2%, em 2021 e 3,2% em 2022, pode não ser alcançável, e que estes danos irão aumentar, o que irá constituir um grande revés para os esforços da região de reconstruir as economias após a pandemia do coronavírus.

“A SADC enaltece o papel do Governo da África do Sul de proteger a população civil e insta as lideranças e os cidadãos a primarem pelo diálogo construtivo com vista a resolver a crise actual. A SADC reafirma ainda a sua solidariedade e o seu apoio ao povo e ao Governo da África do Sul nos seus esforços contínuos para restaurar o Estado de Direito, a paz e a estabilidade”, declara o Presidente da República e Presidente em Exercício da SADC.