“Magufuli é parte indissociável da história da Tanzania” – PR

Data: 23/03/2021
 
Velório de Dr. John Pombe Joseph Magufuli, Presidente da República Unida da Tanzania-6 (1)

Maputo, 23 de Março de 2021 – O Presidente da República, e em exercício da SADC, Filipe Jacinto Nyusi, afirmou que como dirigente tornou John Magufuli uma parte indissociável da história recente da República Unida da Tanzania, da África Austral e de todo o continente africano.

O Chefe do Estado falava durante as exéquias do Presidente da República Unida da Tanzania, John Pombe Magufuli, que perdeu a vida no dia 17 de Março, no hospital de Mzena, em Dar-Es-Salaam, vítima de doença.

O presidente Nyusi considerou ainda que são irrefutáveis os feitos do Presidente Magufuli, pois a prestigiante e reconhecida estabilidade política e prosperidade sócio-económica da Tanzânia, as infraestruturas para um melhor padrão de vida dos tanzanianos, os altos padrões de eficiência e eficácia governativa, todos estes feitos são conquistas lideradas pelo governo do falecido Presidente da Tanzania.

“Como acreditar que o povo tanzaniano tenha perdido um cidadão íntegro, um tanzaniano trabalhador com convicções próprias que engrandecem esta pátria e o continente africano? Como nos despedirmos de um homem que dirigiu com dedicação a SADC, com a ambição de ver a nossa região livre da dependência económica?”, questionou o Presidente da República.

Segundo o Chefe do Estado e Presidente em exercício da SADC, esta organização está presente nesta cerimónia de despedida, com representação ao mais alto nível. “Todos nós decidimos participar nesta mais do que merecida homenagem ao continuador dos ideais de Mwalimo Nyerere”, afirmou o estadista.

Sobre as relações entre os dois países, o Presidente Nyusi afirmou que a Tanzânia foi fundamental na fundação da Frente de Libertação de Moçambique, em 1962, e durante anos, este país disponibilizou o seu território como retaguarda segura para os moçambicanos, e por isso sofreu severas e contínuas retaliações por parte das forças coloniais, porém manteve-se firme no apoio que dava à caminhada dos moçambicanos para a liberdade e para a independência.

“As relações de amizade, irmandade, solidariedade e cooperação entre a República de Moçambique e a República Unida da Tanzânia não resultam de uma simples vizinhança geográfica. O que nos une são laços criados por uma longa História. Os mesmos vínculos de amizade foram sendo forjados com outros países irmãos da nossa região austral. A nossa família não assenta apenas numa dimensão estratégica política e económica. Nós temos uma história comum, nós partilhamos raízes criadas num tempo de luta e sofrimento”, disse o estadista moçambicano.

Leia na Íntegra o Elogio Fúnebre do PR