“Eleição ao Conselho de Segurança é afirmação como Estado soberano” - PR

Data: 17/09/2021
 
PR no lancamento da campanha para candidatura no CS das ONU

Maputo, 17 de Setembro de 2021 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, afirmou que a participação de Moçambique como membro não-Permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas tem um simbolismo profundo, porquanto constitui o culminar de uma etapa importante da política externa e da afirmação de Moçambique como Estado Soberano no Concerto das Nações.

O Chefe do Estado moçambicano falava no acto de lançamento da campanha de candidatura do país para a função acima referida, tendo anunciado, na ocasião, que é nosso dever informar ao país e ao mundo que a eleição de Moçambique está prevista para o mês de Junho de 2022 e constitui a consagração do papel da diplomacia moçambicana, cuja trajectória entre glórias e solavancos logrou ao longo dos tempos tornar Moçambique mais visível na arena internacional como um país amante da paz e defensor da prosperidade dos povos.

“O sucesso da nossa eleição permitirá que o nosso país integre a equipa dos 15 membros deste órgão, especificamente como parte dos 10 membros não permanentes que se juntam aos membros permanentes, nomeadamente, China, Estados Unidos da América, França, Reino Unido e Rússia, devendo exercer um mandato de dois anos. Uma vez consumada a eleição de Moçambique, o referido mandato de dois anos a que esperamos, terá o seu início no dia 01 de Janeiro de 2023, com término a 31 de Dezembro de 2024”, sublinhou.

Presentemente, a candidatura de Moçambique goza de apoio unânime e do ensosso dos 15 países membros da SADC e dos 54 Estados da União Africana. Para além disso, há uma larga manifestação de simpatia e encorajamento por parte de países amigos dos restantes continentes, incluindo os países membros da CPLP.

Contudo, segundo disse, “consideramos que mais trabalho se afigura necessário com vista a alargar e consolidar o círculo de apoios e reunir o maior consenso possível à volta da candidatura do nosso país, conhecido no mundo como amante da paz e da liberdade dos povos e fiel cumpridor da Carta das Nações Unidas”.