PR no Painel Sobre Financiamento na Era da Covid-19

Data: 31/05/2020
 
PR no Painel de Alto Nível - Covid-19 -2

MAPUTO, 29 DE MAIO DE 2020 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, participou ontem, dia 28 de Maio de 2020, através de videoconferência, no “Painel de Alto Nível sobre o Financiamento na Era da Covid-19 e Além”.

O evento foi organizado pelo Primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, Primeiro-Ministro da Jamaica, Andew Holness, e pelo Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres.

A reunião concentrou-se na discussão de seis questões, nomeadamente:

  • Liquidez global e estabilidade financeira;
  • vulnerabilidade da dívida;
  • Credores do sector privado;
  • Remessas financeiras para crescimento inclusivo;
  • Fluxos financeiros ilícitos; e
  • Melhor Recuperação para sustentabilidade.

O Chefe do Estado moçambicano disse no seu discurso que o Governo está bem encaminhado na sua meta de mobilizar setecentos (700) milhões de dólares norte-americanos dos parceiros bilaterais e multilaterais de desenvolvimento, como parte de resposta de Moçambique que inclui os investimentos imediatos no sistema de saúde e o pacote de mitigação do impacto sócio-económico. 

Segundo o Presidente Nyusi, a contribuição dos parceiros de desenvolvimento, que se junta aos esforços dos moçambicanos comprometidos com o aumento da produção e da produtividade, é fundamental para a estabilidade macro, porque permitirá que o Governo responda ao coronavírus e mitigue o seu impacto social e económico, enquanto se concentra nos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Apesar dos desafios globais e internos de curto prazo, o meu Governo mantém-se bem focado nas aspirações de desenvolvimento de longo prazo, do povo moçambicano e do mundo. Porque o desempenho económico é fundamental para este programa e para os ODS, estamos fortemente empenhados em mitigar o impacto do coronavírus sobre o sector privado, para assegurar que continue a flutuar e esteja, novamente, no bom caminho, logo que o país volte ao normal, depois da pandemia da Covid-19”, sublinhou o Presidente da República.

O Chefe do Estado moçambicano exortou a comunidade dos parceiros de desenvolvimento a trabalhar e apoiar o país neste momento particularmente crucial, tendo em conta a experiência de que nenhum país pode suster sozinho o vírus.

De referir que durante os debates, os participantes defenderam uma maior cooperação entre países e organizações e apelam para uma maior solidariedade internacional, particularmente em relação aos países em desenvolvimento e pequenos Estados insulares.

Os governantes abordaram ainda a questão das mudanças climáticas e segurança, tendo, igualmente traçado estratégias para a rápida recuperação económica dos países no período pós covid-19.

A questão de tornar sustentável a dívida dos países em desenvolvimento foi também matéria de debate, onde se defende o congelamento do serviço da dívida por dois ou mais anos ou ainda o respectivo cancelamento, para além do incremento da assistência humanitária.

Participaram igualmente do painel o Presidente da 74ª Sessão da Assembleia-Geral da ONU, Tijjani Muhammade-Bande; a Presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen, o Presidente da República da África do Sul e Presidente da União Africana, Matamela Cyril Ramaphosa; o Primeiro-Ministro do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, Boris Johnson, a Chanceler alemã, Angela Merkel, o Presidente da República Francesa, Emmanuel Macron, do Governo da Espanha, Pedro Sanchez PerezCastejón, o Primeiro- Ministro do Japão, Shinzo Abe, a Primeira-Ministra do Reino da Noruega, Erna Solberg, o Presidente do Banco Mundial, David Malpass, e a Directora Executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva. (GI)

Através da mesma plataforma, deram o seu contributo os presidentes do Quénia, Uhuru Kenyatta, do Malawi, Peter Mutharika, do Senegal, Macky Sall,  da Nigéria, Muhammadu Buhari; da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, do Gana, Nana Addo Dankwa Akufo-Addo, da Gâmbia, Adama Barrow, do Togo, Foure Essozimna Gnassingbé, da Mauritânia, Mohamed Ould Cheikh El Ghazouani;  da Bielorrússia, Alyaksandr Lukashenko,   da Confederação Suíça, Simonetta Sommaruga, da Argentina, Alberto Fernandez;  da Costa Rica, Carlos Álvaro Quesada; da Colômbia, Ívam Duque Márques; das Honduras, Orlando Hernandéz Álvaro; da Nicarágua, Daniel Ortega; do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, do Quirguistão, Sooronbai Zheenbekov; da Geórgia, Salome Zourabichvili; do Sri Lanka, Gotabaya Rajapaksa; do Haiti, Jovenel Moise; da Bulgária, Rumen Radev, entre outras personalidades.