PR inaugura dois sistemas de abastecimento de água em Maputo

Data: 28/11/2023
 
IMG-1907

Magude (Moçambique), 27 de Novembro de 2023 – Seis sistemas de abastecimento de água entraram em funcionamento hoje na província de Maputo, dois dos quais inaugurados pelo Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, no distrito de Magude, reduzindo desde já as longas distâncias que as comunidades precisavam percorrer para terem acesso ao recurso.

Discursando a populares na povoação de Pontia, ponto onde se ergueu um dos sistemas de abastecimento de água, o estadista explicou que está a trabalhar para cumprir a agenda no âmbito do Programa Quinquenal do Governo 2020-2024, pois antes de começar o ciclo governativo fez um périplo pelo país para ouvir as preocupações das comunidades, tendo sido a questão da água em Magude uma delas.

Além de Pontia, outros sistemas foram instalados nas comunidades de Massango (Magude), Bedjile e N’sime (distrito de Matutuíne) e Muzele e Bandoia, em Moamba.

“Seis sistemas de abastecimento de água numa só sentada, no mesmo dia e numa mesma província. Esta é uma obra que nos enche de alegria, porque com estes seis sistemas vamos salvar muitas vodas, vamos melhorar a qualidade de vida de muitos concidadãos. Isto é algo que ilustra e reafirma o nosso compromisso na criação progressiva de melhores condições para os moçambicanos, em especial nas zonas rurais, e este é um legado”.

Estes não são os primeiros sistemas a serem inaugurados pelo Presidente da República este ano à população de Maputo, pois já haviam sido entregues os de Possulane (Marracuene), Maluana (Manhiça) e Chitsavane, em Boane.

Assim, com a inauguração dos seis sistemas de abastecimento de água, a província de Maputo progride de 74 para 76 por cento no acesso à água potável.

“O acesso à água potável significa mais saúde para a nossa população, mais assiduidade e melhor rendimento escolar para as crianças, maior produção e produtividade e melhor qualidade de vida, de forma geral”, sublinhou o estadista.

Os seis sistemas estão integrados no Programa de Abastecimento de Água e Saneamento Rural (PRONASAR), financiado pelo Governo de Moçambique com a parceria do Reino Unido e dos Estados Unidos da América.

Sobre esta cooperação, o Presidente da República sublinha que a amizade dos moçambicanos com outros povos irmãos resulta em parcerias com um impacto vital no desenvolvimento da economia e do bem-estar do social.

E explicou que a operacionalização destas infra-estruturas visa alavancar outras acções produtivas de carácter social e económico, “pedra a pedra” construindo os alicerces do desenvolvimento, provendo serviços sociais básicos à população moçambicana.

Num outro desenvolvimento, o estadista explicou descreveu que Maputo tem zonas de complexidade hidrogeológica e teor elevado de sal em quase toda a sua extensão, o que representa um grande desafio para todos.

Ao nível do país, esta situação é agravada pela limitada disponibilidade de infra-estruturas de armazenamento de água para o consumo humano, abeberamento do gado, produção agrícola e geração de energia.

Dentro dos esforços para reverter a situação, neste ano o Governo investiu e construiu 1146 novas fontes dispersas e 40 sistemas de abastecimento de água em zonas rurais, construiu 197 blocos sanitários escolares e sanitários e declarou 1099 comunidades como livres de fecalismo a céu aberto, o que contribuiu para a redução de doenças diarreias cuja origem é o mau saneamento e más práticas de higiene.

“Queremos que os sistemas de abastecimento de água que hoje inauguramos contribuam para melhorar o saneamento e reduzir a vulnerabilidade para a ocorrência de cólera e outras doenças de origem hídrica”, disse, apelando, todavia, que se use este recurso de forma consciente e racional, lembrando que este é finito diante de uma situação de necessidades ilimitadas.

Ademais, apelou para a conservação dos sistemas, sendo vigilantes e denunciar quaisquer casos de tentativa de vandalização.