PR enaltece valiosa e inestimável contribuição de Marcelino dos Santos

Data: 20/02/2020
 
Funeral do Marcelino dos Santos-23

Maputo, 20 de Fevereiro de 2020 - O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, disse que os feitos de Marcelino dos Santos na luta pela independência nacional, são valiosos e inestimáveis, recordando a sua verticalidade, integridade, coerência, franqueza, trato simples e seu inabalável optimismo, como Herói Nacional.

No seu elogio fúnebre, na Sala Nobre do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, onde decorreu ovelório, o Chefe do Estado afirmou que a presença de várias personalidades naquele espaço visa celebrar a sua verticalidade, a coerência, a franqueza, o seu trato simples, o seu inabalável optimismo e festejar o poeta, homem das artes, da cultura e da ciência.

“Recordar-te-emos como dirigente, com as suas firmes convicções de sempre pensar no povo. Partes num momento singular da nossa história, numa altura em que forças estranhas aos interesses moçambicanos procuram colocar um travão à nossa marcha, rumo à paz e emancipação económica”, referiu o Presidente da República.

O Presidente Nyusi recordou que no dia 24 de Junho de 2015, Marcelino dos Santos foi proclamado Herói Nacional, o que foi uma decisão unânime e sem hesitação, porque todos os moçambicanos reconhecem a sua inestimável e valiosa contribuição para a libertação do país do jugo colonial, assim como o seu amor incondicional à pátria e ao povo moçambicano.

 

“Guardo na memória, o momento em que Marcelino optou por não seguir para Índia, para um tratamento que lhe havia sido recomendado pela Junta Médica. A sua humildade e sentido de servidor dos outros, não lhe permitia tomar sozinho essa decisão, e só aceitou viajar quando me desloquei à sua casa para o aconselhar a seguir o tratamento. Entretanto, Marcelino respondeu nos seguintes termos: Usem esse dinheiro para os que precisam mais do que eu. Há crianças que muito poderão dar a este país, se tiverem a oportunidade de um tratamento fora, ou então, mandem vir esses médicos que vocês acreditam que me podem tratar, para tratar a mim e aos outros que não tem como sair do país”, revelou o estadista.

Leia na ìntegra o Elogio Fúnebre do PR