Presidente da República trabalha na Reserva Nacional do Niassa

Data: 05/11/2018
 
PR recebe explicações da equipa de especialistas

Maputo, 05 de Novembro de 2018 - O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, realizou no dia 02/11/2018 uma sessão de trabalho na Reserva Nacional do Niassa, para se inteirar da situação da caça ilegal de elefantes e monitorar o progresso e efectividade das iniciativas do Governo para controlar a onda de caça furtiva.

Ainda na Reserva do Niassa, o Chefe do Estado dirigiu uma reunião que incluiu também um encontro com um grupo de filantropos e investidores de turismo de conservação onde se destaca o filantropo David Bonderman, Presidente da Wildcat Foundation (oriunda dos EUA), que de forma consistente tem apoiado a Reserva do Niassa.

Na ocasião o Presidente da República tomou conhecimento que o resultado preliminar do Censo Nacional do Elefante que decorre no país, indica a existência na Reserva do Niassa de uma população de aproximadamente 4 000 indivíduos, o que reflecte uma recuperação da população desta espécie que no censo de 2016 estava estimada em 3 500 indivíduos.

Um dos grandes objectivos do Governo no presente quinquénio, é reverter a tendência de caça furtiva que põe em causa a sobrevivência de espécies chave da nossa fauna. O Presidente da República encorajou ao Governo local a continuar com o relacionamento saudável com a Reserva, mitigando desta forma os conflitos decorrentes da gestão dos recursos naturais.

Enfatizou a importância do reconhecimento do papel da comunidade local como o maior guardião da conservação da biodiversidade e dos recursos naturais. Igualmente incentivou as Forças de Defesa e Segurança posicionadas na Reserva a continuarem o trabalho de combate à caça furtiva.

O Presidente da República aproveitou a ocasião para enfatizar a importância da Reserva Nacional do Niassa, tendo dito que: “Niassa é uma das últimas e maiores áreas de vida selvagem em África. É o coração das florestas de miombo - o habitat mais importante para os moçambicanos e muitos povos africanos. Precisamos de fazer tudo o que pudermos para conservar a Reserva Nacional do Niassa”.