Presidente da República inaugura duas agências bancárias

Data: 18/09/2018
 
Inauguracao BCI

Nampula, 18 de Setembro de 2018 - O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, inaugurou, na província de Nampula, duas agências bancárias, sendo uma do BCI na Ilha de Moçambique, e outra do BIM no distrito de Mossuril.

O Chefe do Estado disse que os bancos comerciais, devem conceder programas de educação cívica financeira, para que os clientes possam melhorar os conhecimentos financeiros e a mudança de atitudes menos recomendadas ao sistema financeiro, de modo a optarem pela poupança das suas receitas.

O Presidente Nyusi, assegurou que o Governo vai continuar a fortalecer a supervisão bancária em todo o país, para minimizar o efeito contágio das crises financeiras internacionais no sistema financeiro moçambicano, e manter os incentivos, visando promover a bancarização e alargamento dos serviços financeiros.

O Presidente da República explicou que com a inauguração das agências bancárias transmite-se a mensagem de que o governo está comprometido com a expansão de serviços financeiros a toda a dimensão territorial, especialmente para zonas rurais.

"Mais do que isso, é mais uma prova de que o Governo coloca o desenvolvimento rural na centralidade da sua acção governativa, por ser a região onde reside mais de 70 por cento do nosso povo. Esta inauguração representa também a materialização do nosso compromisso eleitoral, que assumimos em Mossuril e na Ilha de Moçambique, e do programa quinquenal", acrescentou.

Para o estadista, a inauguração das instituições bancárias da Ilha de Moçambique e do Mossuril é só mais um passo do que se pretende alcançar, pois o Governo vai continuar a expandir instituições financeiras nas zonas rurais para aumentar a inclusão financeira e dinamizar a economia rural.

"Com a recuperação gradual dos indicadores macroeconómicos e financeiros, é interesse do Governo que a banca continue sendo a máquina que dinamiza o processo de mobilidade financeira, facilitando a utilização deste recurso para alavancar a economia no seu tudo", sublinhou.

O estabelecimento daquelas instituições financeiras faz parte do projecto governamental "Um Distrito, Um Banco", no âmbito da materialização da Estratégia Nacional de Inclusão Financeira 2016-2022. O instrumento define as metas globais e acções a serem desenvolvidas pelos diferentes intervenientes do sistema financeiro nacional.

Este projecto pretende assegurar que mais da metade da população tenha um ponto de acesso aos serviços financeiros formais até 2022, num raio de cinco quilómetros do local de trabalho ou residência. Pretende-se ainda garantir que pelo menos 35 por cento da população adulta tenha acesso a uma conta bancária numa instituição financeira formal.