PR faz visita surpresa às posições militares em Cabo Delgado

Data: 29/01/2019
 

Maputo, 29 de Janeiro de 2019 - O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, efectuou este fim-de-semana, uma visita surpresa às posições militares das Forças de Defesa e Segurança (FDS), empenhadas no teatro operacional norte, na província de Cabo Delgado.

O Comandante-Chefe, pretendia inteirar-se no terreno do desenrolar de  acções das diversas unidades das FDS, que garantem a ordem, e combatem os malfeitores que têm vindo a protagonizar ataques às populações.

O Chefe do Estado, durante o diálogo com os membros das FDS, encorajou-os a continuarem firmes na defesa da pátria e da soberania, tendo igualmente acrescentado que, “somente quem está no terreno dia e noite, a enfrentar todos os desafios, tem a dimensão do que esta ser feito”. Assegurou que a acção patriótica das FDS, é valorizada  por milhares de moçambicanos, espalhados por todo território nacional.

Para o Presidente Nyusi, a missão de defender a pátria nunca termina, pois, os inimigos da soberania sempre existiram e sempre existirão, daí que a defesa da pátria é uma missão permanente, e sobretudo, neste momento em que as ameaças se manifestam nas sociedades de diferentes formas.

O Comandante-Chefe, debruçou-se ainda sobre o estágio da economia nacional, explicando na ocasião ao contingente militar, que a situação económica do país atravessou momentos  delicados, todavia as medidas que o Governo tem tomado, estão a contribuir positivamente para a sua estabilização, e permitindo assim o crescimento do nosso país, que os jovens das FDS defendem com vigor e missão de Estado.

Por outro lado, o Presidente da República, explicou que tem tido contactos de várias formas com as populações, e que elas se sentem encorajadas, com a presença das FDS no terreno para a garantia da normalidade da sua vida.

“Espero que tenham consciência de que os ataques sempre vão prevalecer por parte daqueles que minimizam a vossa tarefa, mas é importante que mantenham o foco das vossas acções e energias na defesa da pátria e da soberania.”, explicou o estadista  antes de avançar que, “as ameaças manifestam-se de diferentes maneiras no nosso continente, mas a forma como nós temos estado a responder, é essa que cria esta desinformação pelos nossos adversários. Continuem assim, e é esta a razão da nossa felicitação ao vosso esforço”.

Por ser um país apetecível, segundo o Presidente Nyusi, sempre terá seus adversários que querem desestabilizar para retirar a riqueza, pois não são todos os países que possuem a concentração de recursos de que Moçambique dispõe.

No seu diálogo com as FDS, o Presidente da República, avançou que sempre haverá motivos para descredibilizar o país de modo a garantir que grupos de interesse explorem as riquezas dos moçambicanos.

“Nós sempre vamos defender esta pátria até o último moçambicano; até ao último soldado; até o último guarda policial. Esta é a nossa missão, porque esta é a terra que nos viu nascer, e é desta terra que temos que viver, é nesta terra que temos que criar os nossos filhos, e também criar bem-estar para o futuro através da nossa riqueza”, afirmou o Presidente Nyusi.

O Chefe do Estado instou igualmente, aos membros da FDS a observarem a disciplina, principalmente no trato com a população, pois segundo o estadista, não faz sentido defender sem respeitar. Apelou por outro lado, à colaboração da população, tida como fundamental para o sucesso da missão das FDS.

Quero mais uma vez deixar claro que nós como Governo, e eu pessoalmente, tenho acompanhado diariamente os avanços, tenho estado a compreender ao detalhe, mas é sempre bom estar aqui no terreno convosco e transmitir o meu calor e força positiva nas missões que vocês estão a desencadear. É muito bom saber que esta geração está a cumprir com o seu papel na defesa da pátria, como noutras gerações também cumpriram com o seu papel”, disse o Presidente.

Antes de deixar a última posição das FDS, o Chefe do Estado, afirmou que os jovens fardados que honrosamente lutam para defender o seu povo, são o orgulho do povo moçambicano e em particular do seu Comandante-Chefe.