“O processo de paz em Moçambique é irreversível” - PR

Data: 06/07/2018
   
Banquete 1

Maputo, 06 de Julho de 2018 - O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, disse que o processo de paz em é irreversível, pois entre moçambicanos não há inimigos, daí que a melhor via que se  escolheu para o convívio fraterno ser o diálogo.

O Chefe do Estado moçambicano, falava num Banquete em honra da Visita Oficial do Primeiro-Ministro de Portugal, António Costa, no Palácio da Ponta Vermelha.

“Estamos a consolidar o nosso processo mais inclusivo através do aperfeiçoamento do processo de descentralização. O passo em curso, claramente dos mais importante de todos, por garantir o não recurso a hostilidades militares, é a finalização dos assuntos militares, isto é, o desarmamento, desmobilização e reintegração dos efectivos armados da Renamo na vida social e económica nacional”, assegurou o Presidente Nyusi.

Na sua óptica, trata-se de um processo que requer mais do que a vontade política, que é a confiança entre os moçambicanos, assim como a capacidade técnica de organização e recursos financeiros para sua viabilização.

“Contamos também, e como sempre, senhor Primeiro-Ministro, com o apoio de Portugal, país amigo na criação deste ambiente pacífico e de confiança entre os moçambicanos”, disse o Presidente da República.

Segundo o estadista moçambicano, a paz não nasce por se vencer um adversário. A verdadeira paz, no seu entender, consiste em nunca chegar a ter inimigos.

“Decidimos falar entre moçambicanos antes de exaustarmos todas as nossas energias. Recursos e boa-fé são necessários para construir pontes, produzir comida, instalar água e energia, habitação, educação, saúde e políticas sustentáveis para a erradicação da pobreza”, sublinhou o Chefe do Estado moçambicano.