Qui.19102017

Última actualização:11:11:21 AM

  • Galeria de Fotos

  • Palácio da Ponta Vermelha

  • Portal do Governo

 
Tomada de posse do Presidente do INE Foto de família dos Chefes de Estado e de Governos na 35a Cimeira da SADC PR na 35a Cimeira da SADC tomada de posse do Vice Comandante Geral da PRM e do Chefe do Estado Maior da Casa Militar PR PR PR PR
Palácio da Ponta Vermelha
Back Está em... Home Actualidades “As nossas escolas técnicas devem ensinar o aluno a pensar e não a reproduzir” – Presidente Nyusi

“As nossas escolas técnicas devem ensinar o aluno a pensar e não a reproduzir” – Presidente Nyusi

Maputo, 18 de Setembro de 2017 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, procedeu à abertura da XXVI Reunião Nacional dos Directores do Ensino Técnico-Profissional – 2017, que decorre na Cidade de Maputo, sob o lema “Por uma Educação Profissional para o Trabalho e Desenvolvimento do País”.

A reunião converge os directores e outros quadros de todas as instituições técnicas, públicas e privadas, existentes no País, constituindo um momento privilegiado de debate e reflexão sobre a Educação Profissional em Moçambique.

Durante a sua intervenção, o Chefe do Estado afirmou que os Directores das Escolas Técnicas e dos Institutos são vistos pelo Governo, como os vectores da mudança para o actual quadro da formação profissional, assegurando uma formação de qualidade, orientada para o mercado, capaz de promover o auto-emprego e empreendedorismo, e que responda aos desafios do país.

“As nossas escolas técnicas devem ensinar o aluno a pensar e não a reproduzir, a ser capaz de identificar correctamente os problemas da comunidade ou da produção e encontrar as soluções, essa será a prova da qualidade que se pretende”, afirmou.

Para o Presidente Nyusi deve-se estimular a investigação contínua, o estudo permanente dos docentes e discentes num ambiente aprendente e intelectualmente produtivo, por isso que deve-se fazer uma aposta verdadeira na formação, onde meios, saberes e vontades são conjugados para produzir técnicos que vão saber diagnosticar tecnicamente os problemas e necessidades do País e das comunidades e inventar soluções práticas, eficientes e inovativas.

“Assim, na nossa formação técnico-profissional, a educação patriótica, ética e deontológica deve fazer parte, para aguçar o espírito criativo no graduado, a despeito de construir uma Nação capaz de resolver os seus problemas e de avançar sem se ajoelhar a quem quer que seja”, disse o Presidente da República.

Porém, o estadista afirmou que a preocupação do Governo é o facto de algumas instituições, apesar de possuírem condições propícias para a oferta de serviços formativos de qualidade, continuarem ineficientes.

Leia na íntegra o Discurso do Chefe de Estado